top of page

O que é Ecodesign? Princípios, Vantagens e Exemplos

Atualizado: 25 de mai. de 2023

O Ecodesign ou Design Ecológico (em inglês, Design for Environment - DfE) é uma metodologia que está relacionada com o ciclo de vida de um produto desde a extração de matérias-primas, produção, distribuição, consumo e reutilização.


Desta maneira, o ecodesign reúne um conjunto de técnicas e estratégias que promovem o uso consciente dos recursos naturais disponíveis no nosso planeta de maneira cíclica, dado que os materiais continuam a circular na economia e gerando valor para as partes envolvidas.


O Ecodesign - Fonte da imagem:  https://www.ctcp.pt/noticias/curso-online-ecodesign-e-design-sustentavel/4410.html
A metodologia do Ecodesign

Este tipo de design prioriza uma postura consciente e sustentável e está focado em criar produtos mais duradouros, pois tem como objetivo a redução ou eliminação de resíduos, gerando valor para os seus consumidores.


Para Joseph Fiksel, empresário estadunidense e especialista em práticas empresariais sustentáveis, o ecodesign representa:


" [...] a consideração sistemática do desempenho do projeto, com respeito aos objetivos ambientais, de saúde e segurança, ao longo do todo o ciclo de vida de um produto ou processo, tornando-os eco eficiente”. (1)

De modo a promover uma melhor clarificação sobre este tema, neste artigo iremos abordar:


Quando Surgiu o Ecodesign?


O pioneiro do design sustentável foi o educador e designer austríaco Victor J. Papanek (1923-1998) que criou diversos produtos pensando na responsabilidade social e ambiental, empregando o mínimo de recursos possíveis.


Victor J. Papanek é considerado o pai do Design Sustentável

Autor de diversos livros sobre o tema e um ávido crítico do consumismo, em 1971 ele publicou a obra considerada o marco inicial do ecodesign, “Design for the real world: Human Ecology and Social Change”, onde evidencia a sua preocupação com os impactos gerados na natureza num mundo limitado de recursos.


Inspire-se com esta personalidade e conheça mais sobre a sua obra na página oficial da Papanek Foundation.


O Ecodesign e a Economia Circular - O Modelo Cradle to Cradle


O design é uma das áreas mais importantes na economia circular, dado que para criar um modelo verdadeiramente holístico, restaurador e resiliente que promove a regeneração dos sistemas naturais, é necessário pensar os produtos de modo a potenciar a sua utilidade e tempo de vida útil.


“A Economia Circular tem como objetivo principal tornar o conceito de lixo obsoleto, através do investimento na inovação e design circular. Para este efeito, o modelo propõe a procura de soluções que mantenham os recursos a circular na economia, através do investimento na durabilidade dos produtos, do aproveitamento contínuo das matérias-primas e da adoção de modelos de negócio inovadores, que apostem na partilha, no design modelar e de fácil desmontagem e em sistemas que permitam a recuperação dos componentes (2).” (grifo nosso)

O design circular está relacionado com o modelo do Cradle to Cradle, ou C2C, que significa “do berço ao berço”. Em oposição ao modelo de produção linear (extrair, produzir e descartar), esta metodologia foi título do livro publicado em 2002 pelo arquiteto americano William McDonough e o engenheiro químico alemão Michael Braungart: Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things (em português: Do Berço ao Berço: Refazendo a maneira como fazemos as coisas).


Nesta obra, os autores analisam o ciclo de vida dos produtos e defendem que os recursos devem ser geridos através de uma lógica circular, onde eles deverão ser reutilizados com o objetivo de contribuir para a regeneração do meio ambiente e eliminar a ideia de lixo. Como exemplo positivo do modelo cradle to cradle, podemos citar o processo de upcycling que reaproveita todos os recursos, dando uma nova vida aos materiais e sem perder a qualidade inicial.


Ciclos biológico e técnico - Modelo Cradle to Cradle
Nutrientes Biológicos e Técnicos

Neste modelo, os nutrientes são classificados em dois tipos: nutrientes biológicos e nutrientes técnicos. Os primeiros advêm de recursos renováveis que podem retornar à natureza sem impactar negativamente o ecossistema, como a madeira, o papel e o algodão. Já os nutrientes técnicos são materiais provenientes de recursos não renováveis e que podem afetar de maneira irreversível o equilíbrio do meio ambiente, pois não se decompõem, por exemplo, o ferro, o plástico e o alumínio.


Entenda melhor sobre os ciclos técnicos e biológicos no nosso artigo sobre o Diagrama de Borboleta: no Caminho da Circularidade.

Para saber mais sobre este tema, assista o vídeo abaixo "Cradle2Cradle" da empresa de design Reggs:



Os Princípios e as Vantagens do Ecodesign


Segundo o manual de Ecodesign InEDIC 2011, desenvolvido no âmbito do projeto internacional Inedic 2009-2011:


Estima-se que mais de 80% dos impactos ambientais relacionados com o produto são determinados na fase de design, pelo que o ecodesign é uma abordagem muito promissora para o consumo e produção sustentáveis, e tem sido aplicado em diversos produtos de diferentes setores da economia (4).”

Alguns princípios que norteiam as práticas e estratégias relacionadas com o ecodesign são:


  • Escolha consciente de materiais de baixo impacto ambiental;

  • Reutilização e reaproveitamento de matérias-primas;

  • Maior durabilidade e qualidade dos materiais utilizados;

  • Elaboração de produtos com design modular;

  • Uso de materiais seguros para o meio-ambiente e a sociedade;

  • Facilidade na produção de materiais funcionais.


Além de ser uma metodologia vantajosa para as empresas e organizações, o ecodesign pode trazer também diversos benefícios para o meio-ambiente e a sociedade, tais como:


  • Favorece a poupança de energia (eficiência energética) e de água;

  • Minimiza os impactos negativos no meio-ambiente;

  • Reduz os resíduos e a emissão de gases poluentes, como o CO₂;

  • Diminui o uso de matérias-primas virgens, reduzindo a extração de recursos naturais;

  • Cria produtos com maior qualidade, mais versáteis, atrativos e fabricados com materiais mais duráveis;

  • Deixa as pessoas mais felizes e satisfeitas, atraindo novos consumidores;

  • Agrega valor aos produtos, aumentando concorrência das empresas;

  • Melhora a imagem das empresas/organizações e dos produtos comercializados;

  • Aumenta a capacidade de inovação das empresas.


Quer saber mais sobre a Ecoinovação? Leia o nosso artigo sobre este tema: Ecoinovação: a união entre sustentabilidade e inovação

A Importância do Ecodesign para as Empresas


Sabe-se que cada vez mais os consumidores estão preocupados com os impactos ambientais e sociais de alguns produtos que consomem, tendo preferência por bens e serviços que promovam uma cultura e hábitos sustentáveis e que estejam alinhados com os objetivos do desenvolvimento sustentável.


As organizações que têm se preocupado com as suas ações e realizado esforços para desenvolver processos mais circulares e inovadores se mostram à frente deste sistema, diminuindo os seus custos, melhorando a sua imagem e aumentando a sua concorrência e receitas. De acordo com o professor Martin Charter (2001):


O ecodesign pode auxiliar as empresas a alcançar benefícios relativos à redução dos impactos ambientais dos produtos, a otimização no consumo de matéria-prima e no uso de energia, melhoria no gerenciamento de resíduos, redução dos custos de produção”. (3)

Para que isto se torne uma realidade, as empresas devem pensar em estratégias de negócio sustentáveis a curto e longo prazos, de modo a potenciar os seus resultados, ao mesmo tempo que trabalham em prol da conservação do meio ambiente e da qualidade de vida da sociedade.


Deve-se, assim, encontrar soluções que correspondam às atividades desenvolvidas pela organização e que potenciam o desenvolvimento e o sucesso, considerando, para tal, diversos aspetos como a localidade em que se situam, eficiência de recursos e processos, a legislação ambiental vigente e a satisfação dos clientes.


Ecodesign nas empresas
O Ecodesign nas empresas

Embora o ecodesign tenha se revelado como uma solução ambientalmente sustentável e rentável para as empresas, ainda há organizações que demonstram forte resistência a esta mudança, pois, de maneira equivocada, acreditam que para que isto aconteça é necessário um investimento inicial muito elevado e um grande esforço por parte das equipas envolvidas. No entanto, isto é falso!


Esta insegurança e resistência por parte das empresas pode estar sendo gerada não só pela questão financeira, mas por falta de um conhecimento mais aprofundado sobre a metodologia do ecodesign, bem como dos processos e técnicas envolvidas.


É comum ter dificuldades quando se pretende começar, mas estas lacunas podem ser preenchidas, primeiramente, com formações e workshops voltados para as equipas da empresa, despertando a consciência ambiental e social nos colaboradores, além da realização de um diagnóstico inicial que irá analisar a empresa de forma holística e focada na perspetiva do ciclo de vida dos produtos.


Algumas dicas que envolvem o diagnóstico inicial baseado na metodologia do ecodesign são:


  • Analisar os produtos e os respetivos fornecedores;

  • Selecionar materiais de menor impacto ambiental;

  • Reduzir o uso de materiais virgens;

  • Reaproveitar os insumos gerados;

  • Analisar todo o processo de fabricação dos produtos;

  • Repensar nas embalagens dos produtos;

  • Oferecer serviços de reparação e reciclagem de materiais.


Se gostava de gerar mais receitas, aumentar a concorrência e melhorar a imagem da sua empresa com projetos de ecodesign, a BeeCircular pode ajudar-te nesta mudança. Conheça as nossas soluções desenhadas à medida das suas necessidades: Soluções Circulares.

Exemplos de Empresas que Promovem o Ecodesign


Para inspirar as empresas e organizações a elaborarem estratégias sustentáveis e aplicar a metodologia do ecodesign nos seus negócios, abaixo citamos alguns exemplos de sucesso.


1. Mudjeans


Desde 2012, esta empresa de design circular e de origem holandesa, comercializa calças de ganga produzidas a partir das fibras reutilizadas e de algodão orgânico reciclado, potenciando o período de vida do produto.


Mudjeans
Loja da Mudjeans na Holanda

Além da venda, a Mudjeans oferece a opção de “leasing”, em que o usuário pode alugar as roupas por um tempo determinado através de uma subscrição na plataforma e devolvê-las após a utilização.


Mais informações: Mudjeans


2. Gerrard Street


Alinhado com estratégias de ecodesign, a Gerrard Street é uma empresa holandesa que vende e aluga auscultadores modulares que duram a vida toda, pois são de fácil reparação e reutilizam as peças danificadas.


Gerrard Street
Fundadores da Gerrard Street

O utilizador pode optar pela compra ou assinar um pacote mensal que dá acesso aos diversos modelos comercializados pela loja. Além disso, a empresa oferece serviços de reparação dos seus produtos de graça, evitando que as pessoas adquiram novos, minimizando, assim, o impacto causado pelo lixo eletrónico.


Mais informações: Gerrard Street


3. Fair Phone


Desde 2013 que esta empresa holandesa luta por uma indústria eletrónica mais justa, onde comercializa smartphones e acessórios de maneira sustentável. Todas as peças foram desenhadas para que os utilizadores possam ter a facilidade de reparar os telemóveis que foram danificados, evitando a compra de outros.


Fairphone, the materials in your phone
Os materiais no telemóvel da Fairphone

Através da máxima “Juntos podemos mudar a forma como os produtos são feitos”, a FairPhone é um exemplo de empresa de ecodesign que tem trabalho para alcançar um impacto positivo no meio-ambiente e na sociedade através de valores éticos.


Mais informações: Fairphone


4. Purify Eco


Esta empresa de origem portuguesa encontrou uma alternativa sustentável para reduzir o consumo de garrafas plásticas, com o intuito de modificar os hábitos de consumo da população.


Purify Eco
Fundadores da Purify Eco

Com o objetivo de alertar para o excesso de plástico no mundo, a Purify Eco criou garrafas feitas em plástico de elevada qualidade e seguro para a saúde humana, substituindo a alternativa descartável por uma duradoura e resistente. Para garantir o acesso à água filtrada, a ECO desenvolveu uma estação de refil que se encontra disponível em vários pontos do país.


Mais informações: Purify Eco


5. Decathlon


De origem francesa, a Decathlon é a maior empresa de artigos desportivos do mundo e está presente em mais de 50 países. Com o intuito de prolongar o ciclo de vida dos materiais e reduzir o impacto ambiental causado, em grande parte, pela indústria têxtil, a empresa comercializa atualmente mais de 400 produtos ecodesenhados por especialistas.


Economia Circular na Decathlon
Modelo de Economia Circular na Decathlon

Comprometidos em obter matérias-primas de fontes sustentáveis, muitas das roupas e acessórios são produzidas com algodão e poliéster provenientes de agricultura biológica e materiais reciclados e de fontes renováveis.


Mais informações: Decathlon


6. Wetheknot


Esta empresa portuguesa baseada no slow fashion produz roupas de maneira sustentável com alta qualidade e durabilidade. Recentemente, a Wetheknot lançou uma nova coleção de calções de banho reversíveis a partir de materiais reciclados de chapéus de chuva recolhidos nas ruas nos dias de inverno.


WetheKnot
Fundadores da Wetheknot

Sendo a indústria têxtil uma das mais poluentes do mundo, os seus fundadores viram uma oportunidade de unir conceitos de economia circular e ecodesign reaproveitando estes materiais que iriam para o lixo, mas que continuam a gerar valor para os seus consumidores.


Mais informações: Wetheknot




________________

Autoras:

Mariana Pinto e Costa (Co-fundadora BeeCircular)

Daniela Diana (Estagiária de Marketing e Comunicação)

Contacte-nos: hello@beecircular.org


Fontes:

(1) Fiksel, Joshep. Design for environment: creating eco-efficient products and processes. McGraw-Hill: New York, 1996

(2) Ellen MacArthur Foundation, Towards the Circular Economy: Economic and business rationale for accelerated transition, EMF, London, 2013

(3) CHARTER, M.; Managing ecodesign. In: CHARTER, M.; TISCHNER, U. Sustainable solutions: developing products and services for the future. Sheffield: Greenleaf Publishing, 2001. p. 220-242

(4) InEDIC Ecodesign Manual. Developed within EU project InEDIC – Innovation and Ecodesign in the Ceramic Industry, 2009/2011


Fontes das imagens:

0 comentário

Comments


bottom of page