top of page

O que é Upcycling: importância, vantagens e exemplos

Atualizado: 25 de mai. de 2023

Com o intuito de evitar o desperdício e continuar a utilizar os materiais e produtos que já circulam na economia, Upcycling é uma técnica que reaproveita materiais que seriam descartados, mas que ainda apresentam um grande potencial de utilidade.


Os novos produtos gerados pelas técnicas criativas de upcycling possuem qualidade igual ou superior a do produto original, e geralmente adquirem uma função diferente do material original.


De modo a promover uma clarificação sobre este tema, neste artigo iremos abordar:

O que é Upcycling?


Há cada vez mais adeptos do upcycling, no entanto, ainda existem muitas dúvidas sobre o significado concreto deste conceito.


O termo upcycling, que em português significa “reutilização para cima”, vai de encontro com a proposta do modelo da economia circular, cuja ambição é tornar o “lixo” um conceito do passado, propondo a procura de soluções que mantenham os recursos a circular na economia até ao limite da sua capacidade.


Exemplo de upcycling
Exemplo de upcycling: antigo telefone que se transformou numa luminária. Foto de Johnny Briggs (Fonte: Unsplash)

Este termo foi popularizado, em grande parte, pela sua utilização no livro publicado em 2002 “Cradle to Cradle: Remaking the Way We Make Things” (em português, “Do Berço ao Berço: Refazendo a maneira como fazemos as coisas”) dos autores William McDonough e Michael Braungart.


Esta obra é um verdadeiro marco, pois apresenta uma visão inovadora de como idealizarmos e desenvolvermos os produtos de uma forma ecológica, segura e sustentável, que perpetue a utilização dos recursos. Em 2013, os criadores do C2C foram mais a fundo neste tema, com a publicação do livro "The Upcycle: Beyond Sustainability - Designing for Abundance".


Segundo estes autores, o objetivo central do upcycling é evitar que os materiais em bom estado sejam descartados, para assim, prolongar a vida útil destes materiais que são vistos como lixo ou desperdício, dando-lhes uma nova vida. Eles afirmam que esta metodologia reduz a extração de matérias-primas virgens da natureza, além de diminuir a poluição e o consumo de energia e de água necessários para a produção de novos produtos.


A importância e as vantagens do Upcycling


O upcycling não é somente uma tendência, é uma atitude que todos nós precisamos ter perante o nosso mundo. Utilizar técnicas de upcycling traz muitos benefícios para as pessoas, para o nosso planeta e para as organizações, visto que:


  • Fomenta um consumo mais consciente e uma responsabilidade ambiental;

  • Reduz o consumo excessivo e o desperdício;

  • Diminui a poluição do nosso planeta;

  • Minimiza a quantidade de resíduos gerados;

  • Reduz a necessidade de consumir novas matérias-primas;

  • Abranda a extração desenfreada de recursos virgens da natureza;

  • Modera o uso de água e de energia;

  • Reduz a emissão de gases do efeito estufa;

  • Prolonga a vida útil dos materiais que já se encontram a circular na economia;

  • Potencia a circularidade dos produtos no seu fim de vida.


Já possui uma ideia de negócio, mas não sabem por onde começar? Conhece a nossa solução BeeTheChange - Mentoria Circular, que pretende orientar e guiar na implementação de projetos relacionado com a economia circular.

Upcycling, Downcycling e Recycling: qual a diferença?


O Upcycling, Downcycling e o Recycling são três conceitos que estão relacionados com o reaproveitamento e a transformações de materiais, no entanto, o processo e os produtos gerados em cada um deles são diferentes.


Upcycling significa, como dito anteriormente, “utilização para cima”, onde os produtos gerados geralmente apresentam funções diferentes do produto original e qualidade igual ou superior.


Downcycling, por sua vez, é a “utilização para baixo”, cujos materiais passam por um processo de transformação, gerando produtos com funções diferentes do produto original e com uma qualidade inferior.


Recycling, significa “reciclagem”, onde os materiais passam por um processo de recuperação industrial, dando origem a produtos com funções, qualidade e valor iguais ao produto original.


Note que, comparativamente, o processo de upcycling é “limpo”, pois não utiliza químicos na transformação dos materiais, como acontece nos processos de downcycling e o recycling que, além de utilizarem produtos nocivos à saúde, utilizam uma quantidade muito elevada de água e energia.


No processo de recycling, por exemplo, as garrafas de plástico ou as latas de alumínio, passam por um processo industrial de recuperação (que incluem lavagens e aplicação de químicos), cujas matérias-primas são utilizadas na produção de garrafas e latas novas.


Já no downcycling são misturados diferentes materiais (plástico, alumínio, etc.) com qualidades, texturas e cores diferentes, resultando num produto híbrido e com qualidade baixa. Neste processo, por exemplo, vários tipos de plásticos são misturados entre si, que se transformam, após a aplicação de produtos químicos, em pequenos pedaços de plástico que, geralmente, são utilizados para outros fins, como aplicações de madeira plástica. Na verdade, quando nos referimos aos processos de reciclagem, estamos muitas vezes a falar de downcycling.


O processo upcycling compreende a percepção de valor em todos os produtos potencialmente descartáveis, de forma a minimizar possíveis impactos negativos ao meio ambiente, por não utilizar energia e produtos químicos como acontece no Downcycling. O material, uma embalagem de biscoito, por exemplo, poderia ser descartada no meio ambiente, sem passar por processos físicos e químicos, podem-se transformar em guarda-chuvas, bolsas e diversos outros produtos de valor. Para tanto, observa-se a necessidade de criatividade agregada ao processo e, principalmente, de tecnologia que configure um processo inovativo.” (MOREIRA et al., 2017).

Se pretendes tornar a tua empresa ou organização mais competitiva, através da implementação de projetos alinhados com o modelo da Economia Circular e com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, conheça a nossa solução BeeCreative - Inovação Circular.

Exemplos de Upcycling


Felizmente, o movimento do upcycling vêm ganhado um maior destaque na nossa sociedade. O crescimento na utilização do processo de upcycling deve-se, em grande parte, à sua atual aceitação comercial e os custos reduzidos de materiais reutilizados.


E como prova disso, temos muitos exemplos de práticas de upcycling na indústria, na moda, na arte, na decoração e na arquitetura, que podem servir de inspiração para a sua empresa.


Para o brasileiro Christian Ullmann, um dos fundadores do movimento Lixo Invisível:


O upcycling propõe sim reciclar, porém, aumentando o valor criando novas peças ‘surpreendentes’ para fazer assim um melhor uso de toda a riqueza natural, do próprio material utilizado, da energia usada para a fabricação deste produto/material e especialmente do tempo que foi necessário”.

Upcycling na Moda


A indústria da moda é segunda mais poluente do mundo e tem gerado problemas muito graves não só para o meio-ambiente, mas para os seres humanos.1/4 dos componentes químicos produzidos destinam-se a este sector e a maioria é prejudicial para a nossa saúde.


A queda dos preços das peças de roupas está associado ao movimento do Fast Fashion, onde houve uma considerável redução na qualidade e durabilidade dos produtos, e aumento da exploração humana, sobretudo em países menos desenvolvidos.


Com isso, é de se esperar que a extração de recursos naturais tem sido demasiado acelerada para suprir essa demanda. Segundo a página da Circular Wear, são precisos mais de 2600 litros para produzir uma t-shirt e as roupas podem demorar mais de 40 anos para se decomporem.


Exemplo de upcycling na moda
Criada pela designer Alexandra Hartmann, na imagem a modelo utiliza uma camisola feita com cortinas de hotel

O relatório “A new textiles economy: Redesigning fashion’s future”, publicado pela Ellen MacArthur Foundation (2021), aponta para alguns dados preocupantes deste sector, como:


  • A cada segundo, o equivalente a um camião de lixo com produtos têxteis é incinerado ou descartado em aterros sanitários.

  • Todos os anos perdem-se mais de 500 mil milhões de dólares em valor devido às roupas pouco utilizadas e que são raramente recicladas.

Diante destes dados assustadores, fica claro que as empresas do sector precisam urgentemente repensar as suas ações, tornando-as mais circulares e sustentáveis, permitindo assim, gerar valor para a sociedade bem como reduzir a pressão exercida sobre os recursos naturais.


Exemplo de Empresa

A Hôtel Vetements é uma empresa de upcycling, fundada em 2017 pela designer Alexandra Hartmann. A marca sustentável francesa/dinamarquesa surgiu quando Alexandra encontrou cortinas velhas fora de um hotel em Paris, e percebeu o potencial que tinha estes tecidos de elevada qualidade. Hoje, a marca expandiu os seus negócios e, além de utilizar as cortinas velhas de hotéis para criar de forma artesanal as suas peças únicas e em estilo vintage, utiliza também estofos, bordados artesanais, lençóis, toalhas de mesa, dando-lhes uma nova vida.

Upcycling no Mobiliário e na Decoração


Outra tendência muito forte do upcycling e que tem se espalhado mundo afora é na área do mobiliário e da decoração. Tanto a nível individual, quanto empresarial, encontramos diversos exemplos desta técnica que oferece uma nova função, visual e significado à algum móvel (ou outros materiais) que já não está a ser utilizado, aumentando a sua vida útil.


Hoje em dia, os suportes online (blogs, sites, redes e medias sociais, etc.) tem potenciado fortemente a partilha de ideias circulares e criativas com viés ecológico, sustentável e económico, fomentando, cada vez mais, a técnica do upcycling. Desta forma, evita-se o descarte de materiais em boas condições e a compra de novos produtos, e reduz-se consideravelmente a extração de recursos naturais (como a madeira).


De maneira quase artesanal, as pessoas são convidadas a transformarem alguns itens em outros novos, estimulando assim, a criatividade. Um bom exemplo de upcycling na área do mobiliário e da decoração são as criações com pallets, uma espécie de estrado feito de madeira, de plástico ou de metal. Estes materiais são extremamente versáteis e tem sido utilizados em contextos distintos da sua função original se transformando em novos mesas, secretárias, estantes, sofás, estrados de cama ou numa bela decoração de ambientes.


Mesa de centro upcycling
Mesa de centro produzida pela design de interiores brasileira Erika Karpuk (Foto: Lufe Gomes/Casa e Jardim)

Na área do mobiliário e da decoração, o upcycling tem sido promovido, em grande parte, pelo movimento de tendência anticonsumista “Do It Yourself (DIY)”, que em português significa “faça você mesmo”. Sob esta ótica, as pessoas reutilizam os materiais que já possuem, ressignificando-os e oferecendo-lhes uma nova história.


Exemplo de Empresa

A Respiga é uma empresa de upcycling que surgiu em Cascais. Fundada por  Cláudia Martins e Rui Bispo, hoje a equipa é formada por arquitetos, designers, carpinteiros e marceneiros, que transformam madeira descartadas e outros materiais em objetos de mobiliário, de iluminação e artísticos, dando uma nova vida a estes resíduos. Com um design exclusivo, as madeiras e outros materiais que utilizam são recolhidas de praias e do campo, evitando a acumulação destes materiais na natureza. 
   

Upcycling na Indústria


Segundo Christian Ullmann, Coordenador de Projetos CR+IED Brasil e um dos fundadores do Movimento Lixo Invisível:


Todos os materiais e produtos podem ser ‘reaproveitados’. Esta é uma prática antiga – todas e todos já escutaram falar de um ferro velho, uma colcha de retalhos ou o ato de passar o berço para o novo irmão ou prima que está chegando – esta prática sempre existiu no sector industrial e até na própria casa”.

Muitos sectores industriais (têxtil, alimentos, bebidas, automobilística, etc.) geram subprodutos nos seus processos industriais e que podem ser reutilizados para criar novos produtos que irão gerar valor para as sociedades. No entanto, na realidade isso raramente acontece, o que resulta no aumento da poluição, principalmente, gerada pelos resíduos que são descartados indevidamente na natureza.


Esse ciclo contínuo de extração-produção-descarte, que foca no modelo linear, é extremamente nocivo para o meio ambiente e a sociedade. Por este motivo, cada vez mais, encontramos indústrias que conseguem visualizar o poder de reaproveitar estes subprodutos, seja para criar produtos novos, ou para comercializar estes insumos com outros mercados, aumentando a sua lucratividade.


Exemplo de upcycling na indústria
Mesa e bancos de bar produzidos com rodas de bicicletas pela empresa estadunidense Bike Furniture

Na perspetiva do upcycling, restos de materiais, por exemplo, que sobram da indústria de tecidos, pode ser reaproveitada para criar outros itens, como revestimento de sofás, tapetes, etc. Além disso, na indústria de automóveis, as peças que apresentam algum defeito podem ser reaproveitadas para criar outros equipamentos, móveis e objetos, ou mesmo serem utilizadas na decoração de um ambiente. O mais importante aqui é ter esta visão mais sustentável, ecológica e holística, que contemple a circularidade.


Exemplo de Empresa

A The Upcycling Store surgiu em Amesterdão com o objetivo de reduzir a quantidade de resíduos que são descartados na natureza. Sob o lema "Desperdício é alimento para a criatividade", a The Upcycling possui uma equipa formada por designers de produtos, engenheiros, desenvolvedores de negócios e construtores, que reaproveitam diversos tipos de resíduos (peças de bicicletas, pneus, tecidos, etc.) para criar peças únicas. Em sua loja física, eles também vendem produtos de outras marcas sustentáveis holandesas que são feitas de resíduos. 

Upcycling na Tecnologia


Embora muitas empresas do sector da tecnologia já tem avançado com alguns projetos na área da economia circular e do upcycling, a verdade é que há ainda, neste sector, um longo caminho a percorrer.

O obsoletismo programado tem impulsionado um superconsumismo de aparelhos eletrónicos e isso tem sido cada dia mais insustentável para o nosso planeta. A troca constante de telemóveis, computadores ou outros aparelhos eletrónicos geram uma grande poluição no mundo, pois diversos elementos como o mercúrio, ouro, ferro, cobre, etc. são retirados constantemente da natureza para a composição de dispositivos eletrónicos.

Produtos eletrônicos
Os resíduos eletrónicos contém uma quantidade de matérias perigosas para o planeta e as pessoas


De acordo com Scott Cassel, fundador do Product Stewardship Institute:


As empresas de eletrónica fazem um bom trabalho de desenhar para o prazer e para a eficiência, mas a rápida mudança na procura por parte dos consumidores significa que estão a desenhar para a obsolescência. Assim, os produtos mais recentes e fixes de hoje são o lixo de amanhã.”

Dados do The Global E-Waste Statistics Partnership apontam o ano de 2019 como um dos recordes de resíduos eletrónicos, apresentando um aumento de 21% face a 2014. Com mais de 50 milhões de toneladas, e que se prevê duplicar até 2030, grande parte destes resíduos são smartphones, computadores, eletrodomésticos e gadgets.


Sendo assim, é urgente que as empresas deste sector comecem a pensar de maneira holística todos os processos da cadeia de produção, tendo em conta os impactos que geram para o planeta e para a sociedade.


Exemplo de Empresa

Fundada em 2012 na cidade de Sorocoba, no interior de São Paulo, a Sinctronics é um centro de inovação em logística reversa de produtos eletrónicos. Sob o lema, “Do fim ao recomeço, começamos a mudar o mundo”, a empresa procura reduzir o impacto ambiental dos produtos eletrónicos no pós-consumo, gerando mais riqueza para a economia e empregos para a sociedade. Através do Centro de Inovação Tecnológica para a Sustentabilidade, a empresa desenvolve diversos projetos de transformação de resíduos eletrônicos em produtos novos, para que possam ser reintroduzidos na cadeia produtiva.

Gostarias de saber mais sobre os modelos de negócio que potenciam a transição para a Economia Circular? Junte-te a comunidade BeeCircular e recebe gratuitamente o nosso E-book "Como inovar na sua empresa através da Economia Circular"


Encontre outras inspirações sobre as práticas circulares e não deixe ver ler o nossos artigos:


________________


Autoras:


Mariana Pinto e Costa (Co-fundadora BeeCircular)

Daniela Diana (Estagiária de Marketing e Comunicação)

Contacte-nos: hello@beecircular.org


Fontes:


0 comentário

Comments


bottom of page