top of page

Unidades Hoteleiras Regenerativas: boas práticas e exemplos para um turismo mais circular

Atualizado: 22 de mar. de 2023


As Unidades Hoteleiras Regenerativas têm um papel fundamental no desenvolvimento de um turismo mais sustentável, ecológico, regenerativo e circular, pois geram um impacto positivo ao nível social, económico, cultural e ambiental, além de incentivar a regeneração das cidades e economia locais.


A procura e a oferta por este tipo de alojamentos tem aumentado consideravelmente nos últimos anos, e um dos fatores que impulsionou este crescimento e uma maior consciencialização da população foi, sem dúvida, potenciado pela pandemia do Covid-19, em 2020.


Por isto, muitas unidades hoteleiras têm trabalhado ativamente para serem mais ecológicas e sustentáveis, adotando práticas cada vez mais responsáveis e alinhadas com a circularidade, beneficiando não só o meio ambiente, mas também, em alguns casos, diminuindo os seus gastos e tornando-se mais competitivas.


Note que na área do turismo os impactos negativos gerados podem ser enormes e irreversíveis para o meio ambiente, provocando grande desperdício (de energia, água e alimentos) e um excesso de resíduos, sobretudo o turismo de massa.


Um exemplo notório é o que aconteceu nas ilhas Phi Phi, na Tailândia, local que ficou imortalizado pelo filme A Praia (2000). Após receberem milhares de turistas, os impactos negativos no meio ambiente foram inevitáveis, como a perda considerável de parte do ecossistema local, resultando na diminuição de mais de 60% da cobertura de corais em pouco mais de 10 anos, e o afastamento de tubarões e tartarugas da praia.


Infelizmente, este é só um exemplo dos impactos negativos que ocorrem em diferentes partes do globo que, segundo a antropóloga americana Pegi Vail, é decorrente do fenómeno chamado "globalização do turismo". Para ela, apesar dos benefícios económicos advindos das atividades turísticas, não há planeamento e infraestrutura local que seja sustentável a longo prazo, afetando diretamente as comunidades locais e o meio ambiente.


De acordo com o Plano Turismo + Sustentável 20 - 23:


"A sustentabilidade no Turismo é um objetivo e um caminho que deve ter em conta as necessidades dos visitantes, do setor e das comunidades, bem como os seus impactes ambientais, económicos e sociais no presente e no futuro. Um turismo sustentável deve fazer um uso adequado do território e dos recursos naturais, respeitar a autenticidade sociocultural das comunidades e assegurar que as atividades económicas sejam viáveis a longo prazo. (...) Deve ainda estimular estes princípios em toda a cadeia de valor, da oferta à procura, promovendo um destino baseado nas melhores práticas de sustentabilidade, mas também uma mudança na atitude de quem nos visita."

As Boas práticas para Unidades Hoteleiras Regenerativas


A área do turismo tem a particularidade de se conectar a vários setores e indústrias e, para uma verdadeira postura circular, é necessária uma visão holística e sistémica.


Questões relacionadas com a mobilidade, o tipo de atividades de lazer disponibilizadas/sugeridas, as estratégias de fim de vida para os materiais de desgaste rápido (lençóis, toalhas, etc.), entre outras questões que se integram nesta realidade, devem ser consideradas, através da procura pela Ecoinovação.


Assim, as boas práticas aliadas ao modelo da economia circular procuram dar resposta aos desafios que o setor do turismo enfrenta, e podem trazer muitos benefícios para a organização, as pessoas e o planeta.


Destacamos algumas das boas práticas circulares internas e externas que já têm sido utilizadas em algumas unidades hoteleiras regenerativas de Portugal:

  • Arquiteturas e infraestruturas mais sustentáveis;

  • Escolha de energias mais verdes, com menor impacto ambiental;

  • Política de gestão de resíduos;

  • Diminuição e reutilização da água (eficiência hídrica);

  • Reaproveitamento de alimentos e materiais;

  • Compostagem de resíduos orgânicos e hortas sustentáveis;

  • Compras mais sustentáveis, locais e a granel;

  • Formação de colaboradores em economia circular e sustentabilidade.


Através da nossa solução "BeeCreative - Inovação Circular", realizamos uma Auditoria e Diagnóstico de Oportunidades em Organizações e Empresas, caracterizando o seu perfil de forma profunda e detalhada e identificando as principais oportunidades ao nível da circularidade.


Exemplos de Unidades Hoteleiras Regenerativas em Portugal


De acordo com o “Guia neutralidade carbónica nos empreendimentos turísticos” (2021):


A visão definida na Estratégia Turismo 2027 aponta para posicionar Portugal como um dos destinos mais competitivos e sustentáveis do mundo, num forte compromisso com o papel que o setor do turismo pode e deve assumir na concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável definidos pelas Nações Unidas.”

De modo a exemplificar melhor as boas práticas relacionadas com um turismo mais circular e sustentável, selecionamos algumas unidades hotelereiras regenerativas de Portugal:


1. Impact House (Lisboa)


O Impact House é um hostel que está comprometido com a sustentabilidade, a economia circular e o impacto social. As boas práticas deste local vão desde a uso de energia de fontes renováveis, promoção da reciclagem e do upcycling, compostagem de resíduos orgânicos, uso de produtos de limpeza biodegradáveis e ecológicos, dentre outros.


Sala de refeições do Impact House, em Lisboa
Impact House, em Lisboa

Há também um espaço de coworking e um restaurante de comida caseira produzida com ingredientes frescos, locais e sazonais, e um jardim de vegetais e ervas utilizados na preparação dos pratos.


Todos os hóspedes podem usufruir das aulas de yoga, meditação, judo ou dança, oferecidas todas as semanas, e de eventos e ações em torno da temática da sustentabilidade e que promovem um estilo de vida mais sustentável.


Mais informações: Impact House


2. Biovilla (Palmela)


A Biovilla é uma cooperativa para o desenvolvimento sustentável que surgiu com o objetivo de proporcionar às pessoas uma maior consciência ecológica, sustentadas pelos três A’s: alojamento, aprendizagem e alimentação. Parte do alojamento foi construído com madeira reciclada e com técnicas de arquitetura bioclimática.


Alojamento da Biovilla, em Palmela
Biovilla, em Palmela

Com 55 hectares de intervenção, a Biovilla situa-se no Parque Natural da Arrábida, e oferece experiências relacionadas com o turismo de natureza, formações e workshops de sensibilização, além de refeições produzidas com alimentos biológicos e orgânicos, muitos deles cultivados na própria quinta.


Mais informações: Biovilla


3. Rio do Prado (Óbidos)


Inaugurado em 2012, o hotel Rio do Prado, situado na lagoa de Óbidos, está apoiado na sustentabilidade e na economia circular. O local possui uma grande área verde externa e dois lagos que captam a água da chuva. As construções são de materiais reciclados, onde há o reaproveitamento das águas cinzentas, utilizadas no autoclismo e rega de plantas.


Vista do Hotel Rio do Prado em Óbidos, Portugal
Rio do Prado, em Óbidos

Toda a iluminação do local é LED e a energia é proveniente dos painéis solares. Há também uma horta e um pomar biológicos que abastece o restaurante local, e o excedente é vendido aos mercados locais.


Além disso, o Ecolab é um laboratório de ecodesign que promove e vende peças com materiais reaproveitados.


Mais informações: Rio do Prado

4. Neya Porto Hotel (Porto)


Inaugurado em 2020, o Neya Porto Hotel apresenta um compromisso com a sustentabilidade através de boas práticas ambientais e sociais. Caracterizado por oferecer um turismo mais consciente e sustentável, este é o primeiro hotel de Portugal a ter uma certificação Leadership in Energy & Environmental Design - LEED Gold.


Neya Porto Hotel, Portugal
Vista do Claustro do Neya Porto Hotel

Com maior eficiência energética e um compromisso para a mitigar o aquecimento global e as alterações climáticas, este hotel é neutro em emissões de carbono.


Possui uma construção ecofriendly, com 30% de materiais reciclados, com um edifício de baixa pegada ambiental e consumo de recursos. Em comparação a um hotel convencional, ele utiliza cerca de 45% menos água, onde a água é reutilizada nas descargas das sanitas.


Mais informações: Neya Porto


5. Six Senses Douro Valley (Lamego)


Situado na margem sul do rio Douro, um dos pilares do Six Senses Douro Valley é a sustentabilidade. Uma das boas práticas deste hotel é a gestão e o correto encaminhamento de resíduos, onde é feita a compostagem dos resíduos orgânicos.


Ali produz-se comida saudável e sustentável, com escolha de produtos locais e sazonais. Possui ainda duas hortas ecológicas, com aproximadamente 600 m², um jardim orgânico e colmeias instaladas ao longo da floresta de 4 hectares.


Vista do hotel Six Senses Douro Valley
Six Senses Douro Valley, em Lamego

Além de apoiar alguns projetos de cariz ambiental e social, este hotel possui o “Earth Lab”, um espaço com workshops e partilha de projetos que tem a sustentabilidade e a economia circular como temáticas centrais.


Mais informações: Six Senses Douro Valley


6. Reserva Alecrim (Santiago do Cacém)


Com uma proposta diferenciada de turismo rural e ecológico, a Reserva do Alecrim está situada no Alentejo, em Santiago do Cacém. A propriedade conta com 28 hectares e possui uma das primeiras piscina biológicas de Portugal, sem nenhum tipo de tratamento químico.


Pôr do sol na Reserva do Alecrim, Alentejo, Portugal
Reserva do Alecrim, Alentejo

Toda a energia utilizada no alojamento é 100% renovável, e a maior parte da iluminação é feita com lâmpadas LED, que poupam energia. Há ainda o uso eficiente de água nas casas de banho, que, após ser utilizada, é tratada e reaproveitada para a rega. Grande parte dos alojamentos foram construídos com materiais reciclados, sem escavação ou desgaste do solo.


A maior parte das refeições confecionadas no local são produzidas com produtos de origem biológica adquirida de produtores locais, e as sobras de alimentos são levados para a compostagem, criando um fertilizante natural para a vinha da propriedade.


Mais informações: Reserva do Alecrim


7. Quinta Vale da Lama (Lagos)


Localizada em Odiáxere, em Lagos, esta quinta orgânica regenerativa apresenta uma proposta ecológica através de boas práticas ambientais e sociais. Além do alojamento alimentado por energia solar, o local possui uma horta biológica e uma agrofloresta, com sistemas de poupança de água para cultivar produtos de alta qualidade e promover a regeneração dos solos. No local, as águas residuais são tratadas e utilizadas para diversos fins.


Vista aérea da Quinta Vale da Lama, em Lagos
Quinta Vale da Lama, em Lagos

No restaurante vegetariano e vegano, as refeições são confecionadas com produtos frescos da horta e com ingredientes locais. Além disso, é possível participar de eventos e programas que incluem ações de empoderamento e prática regenerativa, como cursos, formações e estágios relacionados com permacultura, regeneração de ecossistemas, hortas biológicas, dentre outros.


Mais informações: Quinta Vale da Lama


8. Herdade da Matinha (Cercal do Alentejo)


Dentro do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, em Cercal do Alentejo, encontra-se a Herdade da Matinha, um local de turismo rural e de natureza que tem como mote a sustentabilidade.


Com 110 hectares, a revitalização da paisagem foi desenvolvida ao longo dos 25 anos de existência, com a plantação de 55 mil árvores, como sobreiros, medronhos, carvalhos e pinheiros, e uma horta que oferece ingredientes para o preparo da comida.


Vista da Herdada da Matinha, em Cercal do Alentejo
Herdada da Matinha, em Cercal do Alentejo

A ideia central é recuperar o solo e o saldo ecológico da herdade, respeitando o património natural e local. A Herdade oferece alojamentos, serviços de wellness, aulas de yoga, refeições com ingredientes frescos, biológicos e locais, confecionadas com frutas e legumes orgânicos caseiros, minimizando ao máximo o impacto ambiental.


Mais informações: Herdade da Matinha


9. Santa Bárbara Eco-Beach Resort (Ribeira Grande)


Inaugurado em 2005, este resort, localizado em Ribeira Grande, nos Açores, possui um conceito ecológico e sustentável, aliado a um projeto de integração ao meio ambiente.


Vista do Santa Bárbara Eco-Beach Resort, em Ribeira Grande, Açores
Santa Bárbara Eco-Beach Resort, em Ribeira Grande, Açores

A construção do espaço foi desenvolvida com materiais naturais, como a criptoméria, um tipo de madeira local, a cortiça e o bambu. Já a decoração, que remete às tradições dos Açores, foi feita com reciclagem e upcycling de objetos e materiais inutilizados. Além disso, toda a iluminação é fornecida por tecnologia LED.


O restaurante local oferece refeições saudáveis, confecionadas com legumes da horta, através do projeto de agricultura biológica desenvolvido no local e apoiado no conceito “Farm-to-table”. Há também um plano anual de envolvimento com todos os colaboradores para um melhor desempenho ambiental do resort, e a equipa de manutenção realiza limpezas diárias da praia.



10. Chão do Rio (Travancinha)


O Chão do Rio - Turismo de Aldeia, localizado em Travancinha, no município de Seia, proporciona uma experiência turística simples e em harmonia com a natureza. O objetivo é inspirar todos os hóspedes a ter um modo de vida mais positivo e sustentável através do contacto com a natureza.


A maior parte da iluminação do alojamento é feita com lâmpadas LED que poupam energia, e há ainda a preocupação com a eficiência hídrica do local, visto que há um consumo eficiente de água em todas as casas de banho.


Imagem dos alojamentos em Chão do Rio - Turismo de Aldeia, Travancinha
Chão do Rio - Turismo de Aldeia, em Travancinha

Com 8 hectares, este ambiente natural possui uma horta tradicional e animais de quinta, composto por casas rústicas, uma piscina exterior biológica e bicicletas gratuitas para àqueles que queiram conhecer mais as belezas naturais do local.


Mais informações: Chão do Rio


11. Hotel Rural Vale Do Rio (Oliveira de Azeméis)


Este eco-hotel, localizado em Oliveira de Azeméis, pretende aproveitar e explorar várias energias renováveis: energia hídrica, eólica, solar, fotovoltaica, biomassa e biodiesel.


Antes de ser inaugurado, há 12 anos, a ideia era restaurar a mini-hídrica, para a exploração energética, no entanto, os fundadores mudaram de ideia quando, após limpar o terreno, vislumbraram o potencial natural do local.


Vista do Hotel rural Vale do Rio, em Oliveira de Azeméis
Hotel rural Vale do Rio, Oliveira de Azeméis

O local foi galardoado com o programa “Green Key”, que reconhece os estabelecimentos turísticos com boas práticas ambientais e sociais para um turismo mais sustentável e que cause menor impacto no meio ambiente, como o uso eficiente da água nas casas de banho, eletricidade provenientes de fontes 100% renováveis e grande parte da iluminação com lâmpadas LED, que poupam energia.


Mais informações: Hotel Rural Vale do Rio


12. Noah Beach House (Torres Vedras)


Localizado em Santa Cruz, no município de Torres Vedras, o Noah Beach House propõe a redução da pegada ecológica, através de boas práticas ambientais e sociais.


A construção é mais sustentável com reutilização de parede de pedra já existente, uso de cortiça nas paredes para isolamento térmico e coberturas ajardinadas com espécies locais, que contribuem para a climatização do edifício. Há ainda uma horta biológica que abastece o restaurante local, com produtos frescos e da época.


Vista interior do Noah Beach House, em Santa Cruz, Torres Vedras
Noah Beach House, em Torres Vedras

Além da eficiência energética e hídrica do local, com uso de energia solar, iluminação com lâmpadas LEDs, sistema de captação de águas pluviais utilizadas pela rega, autoclismos e lavagens, algumas de peças de decoração e mobiliário são produzidas através da técnica de upcycling, com a reutilização de resíduos.


Mais informações: Noah Beach House


13. Hotel Quinta da Serra (Câmara de Lobos)


Localizado a 820 metros de altitude, no município de Câmara de Lobos, na Ilha da Madeira, este Bio Hotel tem certificação carbono zero, conquistada através da plantação de árvores na floresta nacional.


Vista aérea da Quinta da Serra - Bio Hotel, na Ilha da Madeira
Quinta da Serra - Bio Hotel, Ilha da Madeira

Fundado em 2003, ele apresenta uma produção agrícola biológica, utilizada na preparação das refeições aos hóspedes, além de painéis solares e uma ETAR, que potencia a eficiência na gestão dos recursos hídricos, onde as águas residuais são reaproveitadas para rega do espaço.


Mais informações: Hotel Quinta da Serra



→ A BeeCircular desenvolveu um conjunto de Soluções Circulares que poderão ajudar a potencializar a tua Empresa ou Organização na transição para a Economia Circular e Sustentabilidade. Contacta-nos ainda hoje e fica a saber como poderás tornar o teu negócio cada vez mais competitivo.



_________

Autoras:


Mariana Pinto e Costa (Co-fundadora BeeCircular)

Daniela Diana (Estagiária de Marketing e Comunicação)

Contacte-nos: hello@beecircular.org


Fontes consultadas:



Fontes das imagens:


0 comentário

Comments


bottom of page