top of page

Em Fevereiro é Tempo de Apoiar o Comércio Local

Atualizado: 22 de mar. de 2023


Procura reduzir a sua pegada ambiental? Pretende encontrar alternativas e comportamentos para um estilo de vida mais sustentável? Boas notícias! Cada vez mais existem recursos que o(a) apoiam nesta jornada! Um excelente exemplo é a iniciativa “Fevereiro sem supermercados”, que já conta com 6 anos de existência.


Desafio fevereiro sem supermercados
Foto de Erik Scheel em Pexels

Os desafios online são cada vez mais comuns nas redes sociais, existindo dos mais variados tipos e para todos os gostos. No entanto, estes tornam-se particularmente interessantes quando apelam a adoção de comportamentos social e ambientalmente responsáveis, contribuindo ativamente para a construção de sociedades mais equilibradas e saudáveis.


Um excelente exemplo de um desafio que promove as melhores práticas para a promoção da sustentabilidade é o “Fevereiro sem Supermercados”, iniciado em 2017, na Suíça, pelo projeto En Vert Et Contre Tout.



Qual o objetivo do desafio "Fevereiro sem Supermercados"?


Desafiar os consumidores a apoiarem os comerciantes locais, os pequenos negócios e a compra de produtos da época, que venham de produtores da região circundante, levando assim a redução da pegada ambiental gerada com a produção dos mesmos.


Em simultâneo, a iniciativa acaba por ser uma forma de ativismo, pois acaba por demonstrar que os participantes não concordam com as atuais práticas insustentáveis da maioria das grandes superfícies, que promovem o consumismo destrutivo, trabalhos precários, distribuição desigual e desproporcional da riqueza, produção excessiva de resíduos, falta de apoio aos pequenos produtores nacionais, entre muitos outros problemas de carácter social.

E quais são os benefícios deste desafio?


A adesão a este desafio gera diversos benefícios para todas as partes, pois:


☘️ Há uma redução da produção de lixo, nomeadamente no que toca a embalagens e sacos, muitas vezes desnecessários;


☘️ Promovem-se os produtos regionais, provenientes de ciclos curtos;


☘️ Incentivam-se os negócios conscientes e responsáveis;


☘️ A economia local, os pequenos negócios e produtores são dinamizados;


☘️ Há uma redução do número de intermediários no processo e/ou o poder negocial entre as partes é mais equilibrado, o que permite que os produtores tenham margens de lucro mais justas;


☘️ Há um reaproximar dos consumidores com os pequenos comerciantes, relação que na maioria das vezes é mais pessoal, próxima e personalizada;


☘️ Por cada emprego criado na grande distribuição, 3 a 5 desaparecem em outro local;


☘️ Há um redescobrir da oferta local e um aproximar da comunidade.


Algumas dicas que vão ajudar a cumprir o desafio


Parece-lhe interessante? Gostava de aderir a este desafio? Para facilitar o processo, deixamos algumas dicas que o(a) vão ajudar:


✅ Investigue


Todos nós temos ritmos e estilos de vida diferentes, e nem todas as soluções se encaixam nos mesmos. Mas, felizmente, cada vez mais existem alternativas locais, com sistemas que facilitam o nosso dia a dia.

Pessoa vendo o telemóvel
Foto de Pixabay em Pexels

Um bom exemplo são os cabazes de frutas e legumes da época, provenientes de produtores locais, que já existem um pouco por todo o país e que muitas vezes são entregues ao domicílio.


Têm ainda a vantagem de reduzirem o desperdício gerado, pois habitualmente estes cabazes são compostos por produtos que estão em excedente. Permite também uma maior variedade de refeições, pois há a possibilidade de ter novas ideias para novos pratos, consoante os produtos do cabaz da semana.


Contudo, existem muitas outras alternativas como as praças, os mercados semanais e mensais, as mercearias, frutarias, padarias, entre muitos outros. Habitualmente, em todas estas alternativas o cliente pode levar os seus próprios sacos e recipientes, eliminando ou reduzindo a produção de lixo desnecessário.


Planeie


Defina a sua lista de compras com base nas refeições da semana, de modo a definir os locais onde adquirir e os dias para o fazer.


Veja as datas dos mercados na sua localidade, de modo a planear aqueles que gostaria de visitar. Pesquise os horários de funcionamento, de modo a evitar viagens em vão.

Caderno em branco e caneta
Foto de Tirachard Kumtanom em Pexels

Inclua nos seus planos, lojas, mercados ou outros locais que não conhece, mas gostava de experimentar. Tenha em vários locais, sacos reutilizáveis de vários tamanhos (mala, próximo da porta de casa, carro, etc.) de modo a evitar ter que comprar novos.


Neste site, pode também encontrar as lojas com produtos a granel, existentes na sua região, para facilitar o seu planeamento;


Experimente o melhor que a sua localidade tem para oferecer


O desafio está direcionado aos bens alimentares, mas se houver algo que precise realmente, procure e favoreça, sempre que possível, as alternativas e projetos locais.

Mercado de frutas e legumes
Foto de PhotoMIX Ltd. em Pexels

Não desanime


Teve que ir a uma grande superfície? Houve uma semana que não cumpriu o que tinha planeado? Não é motivo para desanimar! Continue!

Mulher de costas a festejar
Foto de Tirachard Kumtanom em Pexels

É melhor existirem muitas pessoas a aderir e a realizar o desafio de forma imperfeita, do que apenas algumas que cumprem o desafio à risca. O importante é dar o seu melhor e fazer aquilo que está ao seu alcance.


Partilhe o desafio com outras pessoas


Desafie um amigo ou familiar para fazer o desafio consigo.

Mãos dadas
Foto de Pixabay em Pexels

Partilhe as suas vitórias, experiências e descobertas com outros, de modo que possa inspirar outras pessoas! E lembre-se do usar nas redes sociais o hashtag #fevereirosemsupermercados


Aproveite ao máximo a experiência e divirta-se


Aproveite-te para estreitar laços com os comerciantes locais.

Mulher segurando post-it de sorriso
Foto de Kat Jayne em Pexels

Visite novos locais e saia da rotina. Partilhe sorrisos e conversas! Troque ideias com outras pessoas e torne esta experiência o mais positiva possível.


Quer acompanhar os artigos da BeeMAG? Junte-se à nossa comunidade e receba gratuitamente um e-book sobre modelos de negócio que facilitam a transição para a Economia Circular.




________________

Autora: Mariana Pinto e Costa (Co-fundadora BeeCircular)

Contacte-nos: hello@beecircular.org

0 comentário

Comentarios


bottom of page